terça-feira, 21 de dezembro de 2010

"Gerar Receita"

Várias palavras-chave elevariam ao máximo uma postagem do meu blog mas vou me conter a uma repetida várias vezes para que a ferramenta de pesquisa do Google encabece meu blog como primeiro da lista daqueles que não dispõem dinheiro para o merchant. E a palavra é:

Cerveja Cerveja Cerveja Cerveja Cerveja Cerveja Cerveja Cerveja Cerveja Cerveja Cerveja Cerveja Cerveja Cerveja Cerveja Cerveja Cerveja Cerveja Cerveja Cerveja Cerveja Cerveja Cerveja Cerveja Cerveja Cerveja Cerveja Cerveja Cerveja Cerveja Cerveja Cerveja Cerveja Cerveja Cerveja Cerveja Cerveja Cerveja Cerveja Cerveja Cerveja Cerveja Cerveja Cerveja Cerveja Cerveja Cerveja Cerveja Cerveja Cerveja Cerveja Cerveja Cerveja Cerveja Cerveja Cerveja Cerveja Cerveja Cerveja Cerveja Cerveja Cerveja Cerveja Cerveja Cerveja Cerveja Cerveja Cerveja Cerveja Cerveja Cerveja Cerveja Cerveja Cerveja Cerveja Cerveja Cerveja Cerveja Cerveja Cerveja Cerveja Cerveja Cerveja Cerveja Cerveja Cerveja Cerveja Cerveja Cerveja Cerveja Cerveja Cerveja Cerveja Cerveja Cerveja Cerveja Cerveja Cerveja Cerveja Cerveja Cerveja Cerveja Cerveja Cerveja Cerveja Cerveja Cerveja Cerveja Cerveja Cerveja Cerveja Cerveja Cerveja Cerveja Cerveja Cerveja Cerveja Cerveja Cerveja Cerveja Cerveja Cerveja Cerveja Cerveja Cerveja Cerveja Cerveja Cerveja Cerveja Cerveja Cerveja Cerveja


Então, meu caro, se foi esta a sua resposta de busca no site citado acima, não feche ainda esta janela pois talvez esta informação científica lhe valha um papo de buteco.

Usando equipamentos de pesquisa avançados de análises químicas, cientistas-apreciadores de Cerveja do tipo Abbey Tripel (daquelas feitas por monges holandeses) estão sendo "padronizadas" para que se evite a falsificação das mesmas por outros produtores que não ganhariam esta selo. E é claro, um trabalho como este não pode vir sem justificativa (na verdade, nenhum pensamento científico o é), este tipo de análise da cerveja - pros químicos de plantão: uma cromatografia líquida acoplada a um espectrômetro de massas (http://www.newscientist.com/article/mg20827923.100-chemistry-helps-to-trap-the-trappist-imitators.html) - está evitado que os monges holandeses deixem de perder seus pés-de-meia que ora e outra tem de ser realizado em prol de um benefício qualquer.
No, you can't have the recipe (Image: Owen Franken/Corbis)
"o monge ' é ' o executivo"

Ha ha, nesse calor que faz hoje aqui em minha cidade, a única coisa que eu iria imaginar seria que estou bebendo uma cerveja da Holanda que é imitação de outra melhor ainda...

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

Sinal Rosa

Hahaha... parece até que eu faço por querer, mas não, isso vem ao acaso. Depois dos caracóis marinhos que emitem uma luz esverdeada, a imprensa divulgou hoje (http://www1.folha.uol.com.br/ambiente/846628-caracois-cor-de-rosa-invadem-miami-beach-em-campanha-ambiental.shtml) um trabalho de artistas italianos que visam chamar a atenção para a reciclagem e reutilização de materiais, fazendo com que um exército de caracóis rosa invadam Miami, USA.

um batalhão de caracóis rosa... vai saber!

Depois de ter sido invadidos por vacas (Cow´s Parade) o que mais no mundo poderemos assistir em termos de invasões animais? Um grupo de protozoários gigantes envolvendo, com seus pseudópodes, imensos prédios comerciais? Ao menos, seria um pouco mais científico e didático...

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

Sinal verde

"E as Brasilianas continuam brilhando lá fora". Parece mais uma notícia sobre o time de vôlei feminino que acabou de ganhar mais uma taça, mas a brasiliana em questão é um tipo de caracol marinho da Oceania que entra pro seleto time que brilha no escuro, ou seja, que produz bioluminescência.
como um sinal, o caracol marinho emite uma luz verde

Conhecemos atualmente uma grande lista de animais que produzem luz própria, do famoso vagalume até moluscos marinhos como lulas. O por quê de se gastar tanta energia assim para ter luz própria talvez se explique na necessidade de emitir sinais: comunicando-se com outros de sua espécie ou mesmo dando avisos a predadores. A estratégia parece ser boa, uma vez que o caracol acima parece emitir sua bioluminescência apenas quando é esfregado por fora, como uma lâmpada mágica.

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

Agora o ingrediente é outro

Continuando os assuntos Culinários, que tal um novo ingrediente para dar gosto, cheiro e cor diferenciada àquele miojo do dia-a-dia?? Falo isso com competência de quem já sobreviveu por alguns meses só à base dessa expressa refeição. Com salsicha, com tomate, com batatinha e até com ovo, minhas variações não eram tão incrementadas como a da mais recente descoberta chinesa...

diliça!!

A novidade vem da capital da província de Shaanxi, Xi'an por uma equipe de arqueólogos Cujos trabalhos Culminaram na descoberta de uma "marmita" mais dois recipientes de bronze (uma liga de cobre, Cu, e estanho, Sn). Em dois destes potes, muito bem fechados, ainda foram encontrados vestígios de alimentação: uma provável sopa e um líquido inodoro que pode ser um vinho.

o recipiente contendo vinho e ou outro com a sopa de ossos, esverdeada pelo cobre.

Na "marmita" - uma verdadeira comida tipo China in Box - a presença de ossos chama atenção. Ainda desconhecidos, não se pode afirmar, com certeza, o ingrediente que deu uma enriquecida na alimentação de um provável militar de 200 a 400 anos antes de Cristo (http://europe.chinadaily.com.cn/2010-12/13/content_11695165.htm), mas pode-se afirmar com certeza que se tratava de uma dieta rica em cobre devido a presença deste sal esverdeado presente no recipiente que no interior de Minas Gerais é mais conhecido como Zinhavre ou Azinhavre.

Mande também a sua receita de sopa. Já temos várias sugestões como a de Mahmoud Ahmadinejad que sugere a adição de U. Que tal uma "Sopa Uraniana", hã, hã?? Entendeu?? Irã... Urânio... A sopa mais enriquecida do Oriente Médio...

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

Pimenta na sopa

A referida "sopa de letrinhas" do último post acaba de ganhar um ingrediente a mais: Pimenta! Ao gosto de qualquer baiano, o conjunto de letras que comporiam a bactéria recentemente encontrada pela NASA em um lago salgado dos EUA acaba de ser contestado. No lugar do CHONPS, o básico de qualquer ser vivo, a proposta do CHONAsS pode estar errada pela forma de tratamento dado à cepa de bactérias coletada e analisada, de acordo com o que contestam alguns microbiologistas americanos (ver contestação em http://www.slate.com/id/2276919/). No lugar de uma "dieta" rica em fosfato, o que pode ser indispensável para um microrganismo, o cardápio do dia havia sido um arseniato - fragmentos moleculares muito semelhantes, quimicamente.
fosfato e arseniato: fragmentos moleculares semelhantes em estrutura e atividade biológica

Propor diferentes formas de vida a partir de diferentes elementos químicos não são apenas propostas científicas apenas do clubinho da NASA. Alguns escritores de ficção científica já haviam dado seus chutes, como o caso de Isaac Asimov (meu ídolo! :). No lugar do principal elemento dos organismos, o Carbono - C, Asimov discute a possibilidade de seres vivos baseados em silício, fato que mudaria drásticamente aquilo que conhecemos como a química "orgânica" de qualquer planeta.

Enfim, nesta confusão alfabética, a NASA está se vendo meio perdida. A cada dia que passa, com seus financiamentos sendo mais e mais cortados pelo governo americano, a agência espacial americana está perdendo para suas concorrentes européia, japonesa e russa em achados e descobertas. Este pode ser mais um golpe duro ao modo de ser fazer ciência pelos cientistas que compõem o seleto grupo. Da próxima vez, que ofereçam outros meios de cultura de bactérias como Bário, Cobalto e Nitrogênio (BaCoN) ou BaNa2

domingo, 5 de dezembro de 2010

CHONPS

Não é a sonoplastia de alguém devorando um sanduíche e nem mesmo um novo monstro da série Pokemon. Muito aplicado em aulas de ensino médio, o CHONPS, ou CHONSP do título dá a sequência química de elementos essenciais à vida. Carbono (C), Hidrogênio (H), Oxigênio (O), Nitrogênio (N), fósforo (P) e enxofre (S) são encontrados na maior parte da "massa seca" dos organismos isso, então, desconsiderando a presença da água em um ser vivo. De longe, o carbono é o mais utilizado tanto por microrganismos, passando por nós, seres humanos, até mesmo às gigantescas árvores .


Mas essa sopa de letrinhas acaba de ganhar mais um grão macarrônico (veja uma boa matéria na Folha: http://www1.folha.uol.com.br/ciencia/840200-descoberta-de-bacteria-sugere-que-base-da-vida-pode-ser-variavel-universo-afora.shtml). Devido às similaridades, fato bem observado em trechos da tabela periódica, o fósforo, normalmente o elemento eleito por 99,999999% dos seres vivos na face da Terra foi substituido no DNA de algumas bactérias encontradas em um lago super-salino dos EUA pelo seu semelhante, o arsênio - As -, um degrau abaixo do grupo 15 (ou 5A) da tabela. Desta forma estes elementos apresentam características que os assemelham em famílias, da mesma forma que eu e meu pai apresentamos a mesma calvície e tamanho de nariz.


segunda-feira, 29 de novembro de 2010

De peso

"Darwin Rules", diria um rapper americano... após o desaparecimento dos dinossauros da face da Terra, fato ainda muito discutido na academia, alguns vermes mamíferos, de alguns gramas, desenvolveram-se para tomar o espaço aberto pelos répteis gigantes. Dessa forma o mundo pôde conhecer os gigantes mamíferos Indricotherium e o Deinotherium. Na foto abaixo, o primeiro, do mesmo tamanho de um T-rex, contrasta seu tamanho com um ser humano em um encontro nada provável.

Um post curto frente ao tamanho das bestas. Veja a matéria completa em http://www.bbc.co.uk/news/science-environment-11820961.

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

"Deus não dá asas a cobra"

O título do deste post é uma das "filosofias" populares mais conhecidas, mas o fato é que poucos conhecem uma espécie de cobra que tem o poder de voar. Voar, em termos, seria se deslocar em um plano horizontal sem o contato com o solo e é exatamente isso que algumas cobras do "paraíso" podem fazer.
cobra do paraíso em vôo

Munidos de diversas câmeras, uma rampa de vôo e muita gente para correr atrás destas velozes cobrinhas, uma pesquisadora americana está divulgando os vídeos de sua tese no site http://homepage.mac.com/j.socha/video/video.html. Aqui se percebe a força aplicada pela cobra para o salto inicial e, na sequência de vídeos posteriores, a distância percorrida pelas cobras que visam alcançar um vaso com uma planta logo à frente. 

O que os vídeos revelam é que a cobra se impulsiona em direção ao seu objetivo (transpor uma área entre seu local de salto até a árvore) e "achata" seu corpo quase como tivesse sido esmagada pelo pneu de um carro. Na queda ela continua com seu movimento corporal que lhe auxilia na movimentação no solo e que também, em queda, faz com que ela se desloque horizontalmente, alcançando uns bons metros de distância do ponto de partida.

Para meu pai, um fobista de cobras, o paraíso que contém este tipo de cobra seria uma pequena sucursal do inferno: cobras que voam ou que chovem do céu!

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Cavernas em 3D: quase um cenário Quake/Doom

Depois de muito tempo sem escrever sobre espeleo, me deparei com uma pseudo-notícia sobre cavernas. Na matéria "Arqueólogos mapeiam cavernas históricas de Nottingham" (http://www1.folha.uol.com.br/bbc/834073-arqueologos-mapeiam-cavernas-historicas-de-nottingham.shtml), ao menos no que se condiz com nossas legislações, o termo "caverna" não poderia ser utilizado. Talvez túneis preencheria melhor os requisitos daquilo que se quer divulgar mas, convenhamos, o apelo cavernístico é bem mais apreciado. Mas, enfim, a matéria dá link para uma divulgação fantástica feita por cientistas ingleses que me remeteram ao tempo em que eu desperdiçava horas e horas de minha graduação e mestrado em frente a um computador jogando Quake em rede. Alguém aí já jogou ou ao menos sabe de que se trata??
tosqueira total, uma das primeiras versões do jogo em rede Quake: cenários tridimensionais e muito sangue!


Além de ser famosa por Robin Hood, Nottingham agora está, literalmente, nos mapas espeleo arqueológicos do mundo. O mapeamento de diversas "cavidades artificiais" que por lá chamam de cavernas, pelo menos não pela nossa definição, têm revelado diversos túneis intrincados que poderiam ter servido, num passado não tão distante, tanto de abrigo anti-aéreo quanto de depósito de bebidas e alimentos.

O mais bacana é que com o patrocínio de universidades locias dentre outros grupos financeiros, alguns mapas gerados foram reproduzidos em tecnologia 3D, graças a um scanner a laser que varre o interior das entranhas da cidade e revelam cenários que me remeteram aos de jogos tradicionais como Doom e Quake. Vale a pena dar uma olhada no site de divulgação que fornece gratuitamente toda essa informação: http://www.nottinghamcavessurvey.org.uk/

Não sei vocês, mas me imaginei no interior da Toca da Boa Vista (maior gruta do Brasil, com mais de 100km mapeados) com uma machadinha correndo atrás (ou pior, sendo perseguido por) preguiças gigantes e tigres dente de sabre depois de ver o vídeo:





quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Vibra call

Essa é ótima e rapidinha. 

Percevejos verdes, daquele tipo de bicho que fede a beça depois de morto, utilizam plantas para mandar mensagens a outros percevejos (http://www.livescience.com/animals/insect-vibrations-communicate-101118.html) através de vibrações emitidas pelo eu tórax e patas. Ao que parece, fêmeas a machos emitem vibrações com características diferentes, o que pode significar mais um apelo amoroso entre os amantes bichinhos:

A descoberta é interessante pois até hoje só se conheciam formas de troca de informação entre insetos que se davam por comunicação química, aquela feita por ferormônios em formigas e abelhas, e por sons como as cigarras.

Eu "vibrei", literalmente, com a notícia pois só desta forma mesmo para eu economizar em minhas contas de telefonia celular (esse mês passei dos 250,00R$)!!

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Viagem ao centro de mim mesmo

40 anos após um lançamento épico de Hollywood, a inicial Trilogia "Guerra nas Estrelas", até hoje é inspiração para artistas, cineastas,  cientistas, nerds e geeks pelo mundo. Afinal, quem como eu, depois de ver um destroyer do Império, nunca fez de conta que sua própria mão era uma destas naves do mal, viajando à velocidade da luz nos confins do universo?? A bordo de uma geringonça destas fomos capazes de ver planetas, estrelas e galáxias distantes. Pudemos enxergar na tela de um cinema - graças à mágica de animações de George Lucas - um universo que aos poucos é revelado por novas técnicas de observação astronômica. Mas agora, imagine-se sobre a "superfície" de um átomo de hidrogênio, viajando lentamente no interior de um vaso sanguineo ou mesmo dentro de uma célula?
encontro improvável: mitocôndrias rebeldes e destroyeres galácticos

Esta é a proposta de vários cientistas americanos que estão fazendo uma série de animações de células, proteínas e moléculas. O vídeo abaixo, da Universidade Americana de Harvard, propõe esta viagem ao interior de células vivas (The Inner life of a Cell), uma animação incrível que mostra, com detalhes, o "andamento" e o funvionamento de uma célula bem conhecida: o Leucócito. Na animação, vemos a célula de defesa do nosso organismo patrulhando um vaso sanguineo, rolando lentamente por suas paredes enquanto apressados glóbulos vermelhos seguem seu fluxo vital. As interações que mantém o rolar do leucócito é visto em detalhes até que penetramos em sua parede celular como o mergulho em uma piscina olímpica cheia de bolinhas em agitação - a bicamada lipídica do leucócito. 


O vídeo, com um conjunto de animações que parecem ilustrar pequenos robôs obedecem a ordem natural do desenvolvimento celular com organelas que parecem ter vida própria, talvez nunca seja indicado ao Oscar de melhor animação mas que, com certeza, vai ser a base de muitas outras produções (veja a reportagem do The New York Times http://www.nytimes.com/2010/11/16/science/16animate.html?ref=science) muito utilizado para ilustrar aulas sobre como funciona nossa vida em pequenos mas miraculosos detalhes (veja o site http://biovisions.mcb.harvard.edu/).

imagem da animação "Powering the cell: mitochondria"

domingo, 14 de novembro de 2010

Gigantes da Bíblia

Mais uma enxurrada de e-mails que nos pregam peças, espalham vírus ou nos vendem carne cozida e enlatada.
a origem do nome que assombra minha caixa de e-mails

Agora, apelando para a fé, um monte de fotos de escavações arqueológicas, supostamente feitas na Grécia, trazem à tona imensos esqueletos atribuídos a um povo gigante e guerreiro, parentes próximos do famoso Golias. As fotos realmente surpreendem. Surpreendem mais ainda quem, movido pelo conhecimento bíblico, acredita que tais imagens possam realmente ser associados aos escritos sagrados. Mas, logo de cara, ao receber este e-mail de uma fervorosa "irmã" evangélica, logo percebi que se tratava de uma fraude. Vejas as fotos a seguir:

Note que o crânio de cima é idêntico ao da foto abaixo (veja o dente que falta), a não ser pela variação de cores e da disposição - um na vertical, outro na horizontal -, em fotos que seriam imagens de escavações diferentes. Note ainda que a escala (pessoas agaixadas próximas aos crânios), dão proporções diferentes a cada um dos fósseis - um teria mais de um metro de crânio, o outro uns 50cm. 

Mas como a fé move montanhas, muitos ainda podem querer justificar o fato do fóssil debaixo ser o "Irmão gêmeo mais velho". Daí então fui a um safari virtual na internet para tentar achar as fotos originais de prováveis escavações arqueo ou paleontológicas que tenham sido usadas como base para as montagens acima. Não as achei, mas achei um blog de um teólogo (http://mszabotto.blogspot.com/2010/09/descoberto-esqueleto-de-gigante-na.html) que fornece a fonte destas imagens, o site www.Worth1000.com que tem um concurso de montagens de fotos de Anomalias Arqueológicas

Enfim, não estou zombando da crença de ninguém, ainda mais por já ter passado boa parte da minha vida em um banco de uma igreja evangélica, mas o problema é que a fé não nos permite enxergar fatos óbvios que nos são apresentados e, desta forma, em nome da fé, podemos todos ser facilmente manipulados ou por uma mídia sem escrúpulos ou por pastores e igrejas com fins nada mais que financeiros. 

Já pensou se a foto a seguir também ganhasse uma enxurrada de e-mails??  eu iria fiamente acreditar que a Ariel, a pequena sereia,  já existiu!!

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Super orbital d

Depois de mais de uma semana, volto-me ao meu vício de escrever um post para o alívio da imensidão de seguidores entusiastas deste pasquim eletrônico. Ora por que não estava achando, nas últimas notícias da net, algo interessante a se comentar, ora por ser um professor que em fim de ano não tem muito tempo para descanso ou ainda por outras dificuldades temporais.

Na internet desta última semana, pulularam notícias sobre arqueologia, uma de minhas ciências prediletas, mas cansei-me de ouvir falar de neandertais que fazem ou não mais sexo que a população atual ou mesmo que estes nossos primos distantes em quase nada se diferem de nossa capacidade cerebral. Me volto, no entanto, para uma figura divulgada pelos meios de divulgação científica nacionais (ver http://www1.folha.uol.com.br/ciencia/828381-bolhas-gigantes-de-energia-encontradas-na-galaxia-intrigam-astronomos.shtml).

O artigo ilustra uma imagem de nossa galáxia, a Via Láctea, que apresenta duas bolhas gigantescas de grande intensidade de emissão de radiações gama e raios X:
a Via Láctea disposta em posição horizontal e os dois grandes feixes energéticos em forma de bolhas

Isto, na visão de um químico, na hora, pode remeter à imagem de um dos orbitais de possível ocupação eletrônica em torno de um núcleo de elementos químicos. Lembra-se da famosa Distribuição Eletrônica? Diagrama de Linus Pauling? então, lá no meio pode existir um tal subnível 3d que na verdade seria a região em um átomo onde poderíamos encontrar um elétron (veja a última ilustração da figura a seguir). Desta forma, este mapa eletrônico pode descrever uma figura geométrica tri-dimensional como esta proposta pelos astrônomos.
galáxias dz2 : um bom nome para a nova descoberta
 

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Bioblog com biopostagens

O prefixo "bio" tem se tornado moda em todos os ramos da atividade humana. Então, sem biobeiras, vamos a alguns bio-exemplos: Biocombustíveis, biodiesel, biorremediação, biomedicina, biotecnologia, biomassa, enfim, quer ver mais exemplos basta digitar "bio" no Google e esperar que ele complete a palavra para lhe dar sugestões. Garanto que aparecerão no mínimo umas 10.

Não é novidade o termo "bioplásticos" que tem sido utilizado para designar polímeros que ou foram reciclados, ou que são biodegradáveis, ou que são reutilizáveis e, mais recentemente que são biosustentáveis. Na química não é nenhuma novidade a possibilidade de interconversão entre materiais, principalmente aqueles à base de átomos de carbono como os polímeros plásticos - PE, PES, PET ou PVC -, contudo a Coca-Cola tem feito muita propaganda em torno de sua nova PlantBottle, uma garrafa com um bioplástico que utiliza em sua composição 30% em massa de átomos de carbono derivados da plantação de cana brasileira. 
propaganda da Coca-cola: retornos garantidos por parte dos biocertinho

Mas antes de continuarmos com esse assunto, vamos entender como a cana de açúcar pode virar garrafas PET. Veja abaixo a figura que ilustra a produção de biodiesel no post: Prá falá certo de bioconbustivel. O etanol produzido (de fórmula CH3─CH2─OH) é convertido em etilenoglicol (ou etano-1,2-diol, HO─CH2─CH2─OH). Este último é o composto que combinará com o ácido tereftálico (ou ácido 1,4-benzodicarboxílico, HO─CO─ Φ ─CO─OH onde o Φ indica a presença de um anel aromático/benzeno). A reação então se dá da seguinte forma (você consegue mais informações sobre o polímero PET no livro "Construindo com o PET: como ensinar truques novos com garrafas velhas" de dois colegas meus http://www.livrariadafisica.com.br/detalhe_produto.aspx?id=27382):

No primeiro quadro, o ácido tereftálico (ainda originado do petróleo neste processo de produção da garrafa da Coca-cola) e duas moléculas de etilenoglicol reagem para formar a estrutura primária do tereftalato de etila, no segundo quadro, com liberação de duas moléculas de água. Outras reações desta estrutura primária reagem com outros ácidos tereftálicos nas e formam o politereftalato de etila, PTE ou do inglês PET (várias moléculas de "mãos dadas"). Daí o fato de uma garrafa 30% sustentável pois ainda não há uma forma barata de se obter o "maior pedaço" do PET de subprodutos da cana de açúcar.

Vantagens óbvias. Desvantagens a serem discutidas: a saída deste etanol faz falta no mercado nacional de combustível - os preços sobem pela velha máxima da economia da oferta e procura. Outra desvantagem discutida no artigo http://www.scientificamerican.com/article.cfm?id=is-plastic-from-plants-good-for-the-environment-or-bad é a possibilidade de falta de oferta de açúcar (outro derivado da cana) e da própria falta de local para o plantio de cana. 

Enfim, muito biopano para a manga.

terça-feira, 26 de outubro de 2010

Um neo-neandertal Mandarim

Não só em paleontologia, mas agora também na arqueologia a China pode surpreender diversos especialistas da área. Muito se tem discutido neste último anos respeito dos Neandertais, nossos primos extintos e talvez a primeira espécie da qual o ser humano moderno possa ter responsabilidade direta pela eliminação desde nossa evolução (para se ter ideia, alguns especialistas não deixam de descartar a hipótese do homem moderno ter sido o responsável pela extinção de grandes mamíferos como preguiças gigantes e mamutes das Américas).

Provas obtidas em cavernas na China (http://www.bbc.co.uk/news/science-environment-11618814) mostram agora que o contato entre as espécies pode ter ocorrido bem antes do até agora aceito pelos estudiosos. Algo que remete há mais de 100.000 anos atrás, em uma região rica em cavernas calcáreas como a da foto abaixo.

A cave in China
caverna no sul da China onde se encontrou restos de homens modernos de 100.000 anos

Nesta caverna, o chinês Chang-Jin Zhu escavou, dentre ossos de outros vários mamíferos, uma mandíbula que traz características notáveis do homens modernos. O artigo completo e gratuito pode ser baixado do site http://www.pnas.org/content/early/2010/10/15/1014386107.full.pdf+html.

a mandíbula descoberta e a mid symphiseal cross section (a coisa azul que não tenho a mínima do que é!) e dentes do Neandertal Shao lin

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Z=57, Z=63

Já parou pra pensar na falta que faz o Európio? O Lantânio então, nem se fala... pois é, nem se fala mesmo, por outro lado se dissermos que o ouro está em falta ou que o alumínio deixou de existir, um caos mundial poderia tomar forma. O pior é que isso é o que se espera para um futuro próximo da humanidade. 

A China, maior produtora de Terras Raras, já anunciou que seus estoques dos minerais que contém estes elementos estão em baixa e que toda sua produção futura deverá abastecer apenas seu mercado interno (http://www.bbc.co.uk/news/world-asia-pacific-11584229). Acontece que o Európio e o Lantânio são dois dos elementos constituintes destas tais terras, realmente muito raras, mas que estão na composição de diversas ligas metálicas modernas ou que ainda encontram uma diversificada aplicação em equipamentos modernos, como catalisadores, vidros especiais, equipamentos de raios laser e aparelhos de raios X.

Quase sempre esquecidos, estes elementos encontram-se em reduzidíssima porcentagem na natureza. É difícil de encontrá-los até mesmo na tabela periódica. Bom, quanto a isso, se seu problema era saber onde encontrá-los, uma empresa americana está comercializando tabelas periódicas no formato de cortinas de banheiro (http://www.thinkgeek.com/homeoffice/gear/8a2f/?cpg=cj). Desta forma é fácil ver - mesmo tomando banho - que ambos elementos citados são assim considerados como metais de transição interna que, para melhor editoração da tabela, são excluídos da ordem normal e dispostos logo abaixo dos demais elementos químicos. Isso que eu chamo de maneira limpa de se obter conhecimento.

Lantânio e Európio = na barra da coritna passam despercebidos, coitados!

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

McMastodonte

Cansado da sua dieta balanceada de proteína animal e carboidratos vegetais? Bom, ao menos parece que nossos parentes distantes estavam. Na Europa (longe geograficamente) há 30.000anos (longe temporalmente) foram identificados os primeiros vestígios arqueológicos que podem indicar que as primeiras sociedades humanas faziam farinhas para se alimentar. Estes vestígios foram encontrados em rochas que eram utilizadas como moinhos, como deveriam fazer nossos primos Caçadores-coletores - este termo é utilizado para determinar algumas populações que, ao contrário de nossos hábitos atuais, não se davam ao trabalho de plantar e colher.

Publicado pelo IIPP (Instituto Italiano de Pré-história e Proto-história http://www.iipp.it/), baseado em dados de diversas regiões da Europa, os cientistas italianos sugerem que tais hábitos de produção de farinha estavam ligados à sua mobilidade. Por ão se fixar em torno de uma região agrícola, os caçadores-coletores não firmariam acampamento, o que os levaria à necessidade de armazenar nutrientes de alguma forma. Como as farinhas são de fácil produção, transporte e agregam um alto valor nutricional, este alimento talvez fosse utilizado na base da pirâmide alimentar, associado a carne de caça.
mó e mãos de pilão utilizados na trituração de vegetais

O engraçado mesmo é que os italianos sugerem ainda que uma massa fina poderia ser produzida com a farinha. Coloque em cima uns pedacinhos de carne e, resultado, "Tudo acaba em pizza" : )


quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Asas pra que te quero!

Na antiguidade, o Homem sempre desejou voar como os pássaros. E quanto aos morcegos?? Ninguém quis voar como eles?? Talvez este tenha sido o mote para Sharon Swartz, um biólogo evolucionista da Universidade de Brown, observar em um túnel de vento o vôo de um morcego cara-de-cão.

Comparativamente, este grupo de animais já traz na sua classificação de ordem a resposta para o vôo observado: os Quirópteros (uma tradução que lembra algo como "asas de mãos") trazem em suas asas uma complicada série de articulações como as nossas. Poucas são as espécies que apresenta diferenças aos cinco dedos que portamos. Além disso, chama a atenção  os músculos presentes nas asas sem falar da fina membrana que une cada "dedo".

o simpático morcego cara-de-cão durante o vôo em um túnel de vento; perceba os 5 dedos, inclusive o "polegar" ressaltado

O interessante do trabalho, como digo no início do post, é exatamente o de possibilitar ao homem a construção de aeronaves diferentes daquelas que copiam o ato de voar das aves, com enormes asas abertas. Uma asa menos e mais articulada poderia permitir, assim como aos morcegos, uma maior capacidade de realizar manobras aéreas. Isso me faz lembrar que há poucos dias pude ver o embate de um falcão e um morcego. Parecia aquele desenho do "Caça ao Pombo" do Dick Vigarista

o desenho seria diferente com um morcego-correio



terça-feira, 12 de outubro de 2010

Plantas na Terra

Acordei cedo hoje e dei de cara com uma notícia boa e outras ruins. Aqui vai:

Na Argentina, pesquisadores acharam o vestígio mais antigo de plantas que invadiram a Terra por volta de 473 a 471 milhões de anos atrás, fato que faz recuar em 10Ma a conquista terrestre destes seres vivos - antes desta descoberta, acreditava-se que estes vegetais haviam se desenvolvido por volta de 463-461Ma em um local entre a Arábia Saudita à República Tcheca. As criaturas parecidas com as hepáticas atuais (lembra de suas aulas de biologia?? briófitas, coisa e tal??) são as responsáveis pela vida em nosso planeta. Elas acharam, em terra firme, longe do mar de origem, um local inóspito porém inexplorado. Ali evoluíram e abriram terreno para as demais formas de vida que viriam depois, dentre elas, algum parente distante da gente.
isso aí em cima? exemplo de uma hepática!

As más notícias. Não prestou atenção?? A descoberta foi feita na Argentina!! Os seres pioneiros na fuga do ambiente marinho para terra firme tinha que ser argentino?? é por isso que eu detesto salada.

A outra coisa que eu queria noticiar é que esta matéria está disponível para ser lida tanto no site da BBC londrina (http://news.bbc.co.uk/earth/hi/earth_news/newsid_9079000/9079963.stm) quanto na própria revista que publicou este trabalho, a New Phytologist que está até dispondo este artigo a download. Baixei aqui e estava dando uma lida. A descoberta foi possível graças aos estudo paleontológicos de pólen (ou palinologia) que estuda este vestígio biológico tão resistente. Tudo isso está disponível no site da BBC de Londres. Não, não estou repetindo isso atoa, só estou chamando atenção para um fato que acontece a toda hora nos jornais e sites de divulgação de ciência do Brasil. Eles sempre vão atrás de coisa já pronta e mastigada para colocar em seus noticiários, às vezes, sem se preocupar com o material de origem, confundindo fatos e divulgando algumas pseudo-ciências, como aquela notícia de um jornal marrom inglês que divulgou a posse de uma ministra de relações Extra-terrestres em que diversos pasquins nacionais acreditaram. Fazer o quê? Navalha de Ockham neles!! (http://www.projetoockham.org/div_ockham.html um dos melhores projetos científicos da internet, na minha opinião, parado há anos).
anote aí: aposto que nos jornais, uma figura como essa será identificada como uma planta e não o fóssil de pólen vegetal


segunda-feira, 11 de outubro de 2010

Ouça as profundezas

Cansado de ligar o rádio e ser obrigado a ouvir uma música de mal gosto? Não suporta mais o sucesso dos EMOs?? odeia pagode??? detesta os enlatados americanos do hip-hop???? Por que não ouvir então os sons da profundeza?????

Não se trata de uma nova banda heavy-metal, mas sim de uma opção científica de estudo de sondas marinhas espalhadas pelo globo. O projeto "Listen to the Deep" (http://listentothedeep.net/acoustics/index.html) dispõe, atualmente, de dez sonda em torno da Europa e uma no Canadá que, 24 horas por dia, transmitem via internet todo o repertório do cancioneiro de baleias e golfinhos, mais ainda, todo o tipo de sons sub-superfície (navegações e testes geofísicos de sonares).


Para se distrair bem, você vai depender de sua sorte que, em um específico dia, um dos artistas submarinos marque uma apresentação. Por exemplo, eu estou aqui ouvindo passeatas de barcos passando pelo Estreito de Gibraltar, coisa que não tem graça nenhuma. Mesmo assim, ainda ainda melhor que ouvir "Pra você lembrar" do Restart........

domingo, 10 de outubro de 2010

Pra falá serto em Bioconbustivels

Ontem a noite, sintonizando a transmissão de uma das mais ouvidas rádios jornalísticas que temos nas frequências belorizontinas, acabei por ouvir a entrevista de um tal "especialista" em biocombustíveis dizendo que "o diesel derivado do petróleo gera mais de 3kg de gás carbônico após a queima", o que ele usava como justificativa para o uso do biodiesel que DEVE ser, em breve (digamos em termos de décadas), modificado para conter cerca de 20% de derivados de plantas oleaginosas. Tá. Os biocombustíveis são mesmo uma grande esperança para a redução da poluição, mas algumas coisas sobre essa reportagem devem ser corrigidas.

Primeiro, vamos fazer uma conta estequiométrica para ver se, realmente, 1,0L de diesel geraria mesmo os 3kg de COmas, para isso, primeiro façamos algumas considerações. A primeira é que, como derivado do petróleo, o diesel deve conter em sua fórmula vários hidrocarbonetos, HC - compostos apenas por átomos de hidrogênio e carbono - com restrito ponto de ebulição como mostra na tabela abaixo. Aquela mistura que entra em ebulição em torno de 270 graus Celsius contém HC´s de 14 a 20 átomos de carbono. Tomando como base um deles, apenas o C16H34 (conhecido na engenharia como cetano e quimicamente como o hexadecano), passemos à matemática. 

De densidade igual a 0,77g/mL, um litro deste composto tem 770g. Como 1mol deste composto tem 226,5g, 1 litro de diesel (com 770g) apresenta 3,4mol que, corretamente oxidados a CO2 , gerariam 54,4mol deste gás. Como cada mol de gás carbônico tem 44g de massa, todo esse produto teria a massa de 2.293,3g, ou aprox. 2,3kg. Portanto, ficam aí 700g do poluente por conta do especialista entrevistado pela rádio.

Mas podemos fazer correções em nossa conta acima pois o HC considerado foi tomado como único componente do diesel. Mesmo assim, os dados apontados pelo entrevistado não são confiáveis. A maior revolução que nos apresentam os biocombustíveis são sua possibilidade de renovação e, mais ainda, o fato de serem produtos livres de outro elemento, o enxofre, S (veja índice deste elemento presente no diesel na tabela abaixo, tirada do excelente site http://www.biodieselecooleo.com.br/biodiesel/estudos/biocombustivel%20alternativo.htm), que faz parte da mistura de HC´s do petróleo. Na gasolina ou no diesel, este composto entra junto com os derivados de carbono no motor do carro e também geram produtos de oxidação. Estes óxidos de enxofre podem agora, livres na atmosfera, combinar-se com água e retornar ao solo na forma de chuvas ácidas.
7

Finalmente, como combustíveis renováveis, entendamos que o biodiesel e também o etanol (o principal biocombustível nacional que muitos esquecem que ele derive de uma planta!!) têm maior apelo industrial e econômico por poder ser sempre obtido a partir de uma rota que envolve a plantação de uma espécie vegetal (soja, para exemplo do biodiesel), a transformação de seu produto em combustível comercial (a transesterificação para os óleos vegetais e a fermentação dos açúcares para o etanol), sua purificação e mistura ao combustível original derivado do petróleo (ou de seu uso puro como no etanol) até chegar ao motor do nosso carro que gera energia a partir da combustão destes compostos. Esta combustão gera o famigerado  que então pode ser absorvido por uma das plantas citadas acima e reiniciar o processo. Ufa, toda esta volta foi para ler o que se descreve na figura a seguir:

Enfim, fica a crítica para os meios de comunicação que tratam de jornalismo científico, que analisem e critiquem aquilo que será veiculado ao público, nem sempre informações corretas chegam aos nossos ouvidos

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

1.000 por hora

Em termos de velocidade (ou melhor, rapidez) em reações químicas, não tem outra: Viva a Química dos explosivos!! A BBC está divulgando um vídeo incrível que mostra os cuidados ao se sintetizar a Nitroglicerina e também a reatividade da mesma, em que uma única gotinha é posta a reagir depois de uma simples pancada. A reação é tão rápida que - nem mesmo 600vezes mais lenta!!!! - não se pode identificar nenhum intermediário reacional durante a conversão da nitroglicerina em produtos gasosos (veja o link http://www1.folha.uol.com.br/bbc/811773-experimento-filma-explosao-de-nitroglicerina-assista.shtml).

A imagem abaixo ilustra bem o que estou falando. Mais parece uma boa martelada, daquelas dignas das histórias em quadrinhos do Thor, o deus do Trovão, mas que nada, é um químico testando uma nitroglicerina recém-preparada.


quarta-feira, 6 de outubro de 2010

Máscaras salva-vidas

Imagine-se na seguinte situação: você está em um laboratório em que há um vazamento de gás tóxico ou de material particulado. No mesmo laboratório, as medidas de segurança não foram tomadas e seu chefe não comprou máscaras para gás em número suficiente para todos. O que fazer?? Bom, nada melhor - pela proposta da Ucraniana Elena Bodnar - do que tirar o sutiã e colocar no rosto. Medida eficaz, comprovada em prática. Foi isso o que aconteceu na entrega do Ignobel do ano passado.

Could come in handy
os prêmio Nobel de física, Wolfgang Ketterle, e literatura, Orham Pamuk, recebem uma amostra grátis do sutiã máscara

Com muito bom humor, é claro, o invento é retirado pela sua idealizadora que usava tais aparatos durante o evento no ano passado e colocado nos convidados famosos (estes sim ganhadores de prêmios Nobel). Sei que esta notícia não é novidade, mas o bacana é que a New Scientist está divulgando o vídeo em http://www.newscientist.com/article/dn19517-win-some-lifesaving-lingerie.html.

Não consigo deixar de pensar em outras aplicabilidades do evento. Com algumas modificações, o sutiã poderia até mesmo se transformar em uma máscara de (e não "para") gases, ajudando um enfermo, por exemplo, a respirar puro oxigênio na recuperação hospitalar. Ou ainda, em um caso de acidentes aéreos, na cabine de um avião. Imagine a mensagem do piloto: "Em caso de despressurização da cabine, as aeromoças disponibilizarão seus sutiãs para respiração".

Enfim, é claro, na ciência também tem piada, fato que demonstram tantos cientistas, sérios ou palhaços, e que ajuda na desmistificação que todo cientista ou é louco ou é nerd.

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

Pelas barbas de Netuno!

Viva os Ignóbeis! Muito boa esta de dar prêmios a pesquisas engraçadas. Sempre justifico que a ciência se justifica na própria ciência, por isso eu nunca consigo ver inutilidades em um estudo, mas que eles podem ser engraçados, ahh sim, eles podem!! É isso que faz a revista Improbable Research (http://improbable.com/ig/winners/#ig2010ao premiar, todos os anos, há uma semana do concorrido Nobel, cientistas que dedicaram ao menos um pouco de tempo em um pesquisa que "não deveria ser repetida". 

Ontem, na imponente Harvard, ocorreu a vigésima entrega desta premiação a vários pesquisadores incluindo Físicos, Químicos, Biólogos, Médicos, profissionais de saúde pública, para aqueles que buscam a paz, enfim, vários pesquisadores que fazem da ciência uma piada. O prêmio de biologia eu discuti na postagem anterior (morcegos em felação) e os demais, pelo bem da comédia científica, não poderia deixar de citar.

O prêmio Ignobel da minha área, a Química, foi para pesquisadores de uma petroleira que queriam colocar em cheque a miscibilidade de petróleo e gás natural em água numa simulação de um vazamento de um oleo/gasoduto submarino. Só acho que eles não estavam preparados para a prática que veio nestes últimos meses em que isso realmente aconteceu nos EUA. Na física, a pesquisadora queria, ao meu ver, ajudar a humanidade ao mostrar que no momento em que colocamos uma meia pelo lado de fora do calçado, não escorregamos em uma superfície gelada. Na medicina uma prática de andar em uma montanha russa para minimizar os efeitos da asma. Com bom humor, os premiados vão até a entrega do prêmio simbólico que, aposto, não entrará para seu currículo.

Mas o mais engraçado foi, com certeza, o prêmio de saúde pública. Preocupados com a constante prática laborial de microbiologistas, pesquisadores estudaram a contaminação de barbas por contato em meios de cultura de microorganismos, em geral, durante um experimento. Isso é de suma importância para cientistas que não abrem mão de seu visual pela ciência sem contar para aqueles de fé Muçulmana. No entanto, os fios de barba podem entrar em contato com o material que está sendo analisado em um trabalho e, desta forma contaminar o sério cientista. Mas é claro, sem oferecer grandes riscos a uma cobaia humana, como os sorridentes cientistas abaixo, no estudo foi usado um manequim.

Já o manequim da figura anterior foi exposto a "pintinhos controle" que, depois de examinados, mostraram que os microorganismos poderiam sim passar da barba e contaminar outros seres vivos mesmo que depois de uma limpeza geral na barba. O responsável pela pesquisa Manuel Barbeito (seria coincidência o sobre nome ser quase "barbeiro") não pode comparecer à entrega e alegou motivos de saúde para justificar sua ausência : )#

Bom, só para encerrar, pode parecer perda de tempo mas normalmente este tipo de publicação é mesmo uma piada. Algumas revistas norte-americanas gostam de publicar em edições do mês de Abril (por causa do primeiro dia deste mês, o Dia da Mentira) algumas notícias risíveis. Com uma antiga que comparava o Pé Grande com um Yet (o Abominável Homem das Neves). É rir para criar.

Sobre Bolas, Gatos e Morcegos

Realmemnte, os morcegos me impressionam. Sei, sei... o assunto é muito recorrente aqui no blog, mas é que esses bichinhos realmente são fascinantes, ainda mais para um amante do mundo subterrâneo como eu. O interesse neste assunto é tanto que já participei de alguns cursos sobre estudo desses mamíferos voadores que contou com um ótimo trabalho de campo na reserva da UFMG onde pudemos ver de perto suas parte anatômicas. O que mais chama a atenção, é claro, são as proporções daquelas partes sexuais dos machos. Alguns podem ter um pênis de até um terço do tamanho do tronco do bicho, ou seja, um morcego com uns 25cm de tamanho (da cabeça até a cauda) deve ter um pênis em torno de uns 7cm. Imagine isso em um humano de 1,80m?? Sem contar que algumas espécies nectívoras (que se alimentam de néctar de flores assim como o beija-flor) podem ter uma língua 2 vezes maior que seu crânio, o nos leva a concluir que, de novo em proporções humanas, nos seria algo em torno de uns 50cm!!

É, em parte, isto que chamou a atenção dos atuais ganhadores do prêmio Ignobel de biologia deste ano que realizaram uma pesquisa com morcegos chineses em que a felação  "amplamente utilizado nas preliminares dos humanos, mas raramente documentado em outros animais"  (trecho retirado e traduzido do artigo disponível em http://www.plosone.org/article/info:doi/10.1371/journal.pone.0007595#pone-0007595-g001 : neste endereço você pode baixar o vídeo: pornografia pura) era documentada pela primeira vez, filmado e desenhado em um verdadeiro Kama Suthra quiróptero!
morcegos da espécie Cynopteros esfinge em, digamos, um momento de amor

Mas agora, voltando aos conteúdos sérios sempre postados neste espaço virtual de divulgação científica, isso com certeza vai de encontro ao que outra pesquisa da revista Biology Letters (http://www.newscientist.com/article/mg20827804.700-large-brains-bust-baggage-allowance-for-migratory-bats.html) acaba de publicar em que é apresentado que este tipo de morcego carrega um grande cérebro, ao contrário de morcegos que dispensam parte de sua vida em viagens migratórias. A proposta que os autores oferecem aos leitores sobre esta diferença em tamanho cerebral entre morcegos é que um cérebro grande traria um peso extra para os vôos. Só fica a dúvida: será que morcegos migratórios abririam mão de seus mega órgão sexuais?? Inteligência nem sempre é tudo...

terça-feira, 28 de setembro de 2010

Homem de Ferro de Verdade!!

Fãs de HQ´s, preparem-se: vem aí sua chance de se tornar um dos ídolos deste gênero literário e, recentemente, do cinema. Já está na segunda geração o Exo-esqueleto da Raytheon, uma empresa norte americana que se valeu da idéia de Stan Lee para o "Iron Man", personagem criado na década de 60.
o "recém nascido" Homem de Ferro até a sua segunda versão para o cinema

Mais famoso depois de ganhar duas versões nas telonas, o super-herói é um dos mais humanos de toda escrete de capa e espada das revistas em quadrinhos da Marvel, é claro, sem contar com alguns exageros como o de criar, na continuação da saga Homem de Ferro II, um acelerador de partículas doméstico que levou a formulação de "um novo elemento químico".

Mas, exagero a parte, a Raytheon (veja os interessantes vídeos em http://www.raytheon.com/newsroom/technology/rtn08_exoskeleton/index.html) promete lançar no mercado os seus exo-esqueletos que nada mais são do que robôs controlados por um console que envolve o corpo do operador e que aumenta em várias vezes a força que o seu corpo orgânico poderia aplicar. Fala-se da utilização deste pré super-herói aplicado na emocionante tarefa de salvar o mundo ao carregar objetos pesados, ou, como mostram os vídeos, você poderia ainda enfrentar perigosíssimas tábuas de madeira ou mesmo exercitar-se sem esforço algum. Como diria aquele Sobrinho do Ataíde, "isso é ou não é totalmente excelente"?? 
quer fazer exercícios sem fazer esforço?? ligue agora mesmo para a Raytheon e faça seu pedido!!

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Marcada a ferro

Que o nosso planeta tem sido castigado há milênios ninguém tem dúvidas, mas esta marca foi bem mais profunda. Descoberto via imagens de satélite dispostas ao público, entenda-se: Google Earth, mais uma vez este programa gratuito mostrou-se como uma ferramenta muito util à ciência, apesar de ainda não ser muito bem recebida em alguns trabalhos acadêmicos...

Cientistas Italianos, sem ocupação, estavam olhando as fotos que mostram um dos desertos mais áridos do mundo localizado entre o Egito, Líbia e Sudão. Ali já são conhecidas outras marcas de queda de meteoritos (os famosos Astroblemas). Munidos de equipamentos avançados e muitos patrocínios (http://www.mna.it/hosts/Kamil/field_act.htm) um grupo interdisciplinar foi até o local onde puderam constatar que uma cratera profunda e que media em torno de 40m de diâmetro. Eu também, com muita ocupação mas um curioso nato, também fiz aqui minha expedição googleana e trago a vocês as coordenadas desta cratera para você jogar no seu Google Earth, toma aí:  22° 1'5.96"N,  26° 5'15.78"L (clique no "adicionar marcador", aquele objeto amarelinho lá em cima no menu, dê o nome "Cratera Kamil" e ponha as coordenadas que ele marca para você).

O mais bacana é que próximo à cratera ainda podem ser encontrados restos do brutamontes que caiu na Terra por volta do 10.000 anos, como estimam os cientistas italianos. Um bloco de ferro meteorítico de aproximadamente 80kg (ver figura abaixo) é um dos maiores blocos encontrados no local onde mais de 800kg já foram coletados. Ligando ciências a ciências, imagine quantas áreas de conhecimento poderiam lotar vans de turismo científico para lá! Dos químicos aos físicos, dos geógrafos aos geólogos, dos astrônomos aos biólogos, dos engenheiros metalúrgicos aos arqueólogos... estes últimos que além de passear por um dos berços da humanidade, o Egito,  poderiam ainda testar teorias como as que dizem que os homens dominaram as tecnologias envolvendo metais ao trabalhar com estes metais extra-terrestres.

o maior dos pedaços do metal ET

domingo, 19 de setembro de 2010

O Sorriso do Lagarto

Novas descobertas paleontológicas e arqueológicas nos fazem entender melhor nosso passado. Cada vez mais podemos, graças a estes vestígios enterrados em nossos solos e rochas, saber sobre as condições climáticas do passado, entendemos melhor fatores naturais que podem levar à seleção ou extinção de espécies e até mesmo entender nossa própria organização como sociedade e famílias.

No entanto, não faça como a propaganda da líder em vendas de sabão em pó, que durante a imagem de um garoto que deixava cair sorvete em sua camisa diante de um fóssil de um dinossauro anunciava os dizeres "futuro arqueólogo". Não que o guri hoje não esteja escavando no Egito, mas a associação entre as duas ciências Paleontológicas e Arqueológicas esbarra em seus objetos de estudo. A diferença é que a segunda se volta mais às descobertas que auxiliam no entendimento do homem como  um animal social, extinto ou não. (http://noticias.uol.com.br/ultnot/cienciaesaude/ultimas-noticias/2010/09/15/pesquisadores-descobrem-ossadas-que-podem-ter-mais-de-3000-anos-em-mg.jhtm)

O avanço nestas ciências está mostrando que a cada nova descoberta, mais informações podem ser utilizadas para explicar mitos. Lembro-me que desde pequeno, quando me escondia atrás do sofá ao ver imagens de dinossauros na TV (o pior, aqueles de massinha e stop-motion http://www.youtube.com/watch?v=m6-h6Of0ZRQ&feature=related), via e ouvia falar coisas que me faziam detestar o T. Rexes. Além de uma máquina de extermínio, ele deveria ser uma lagartixa crescida que, arrastando sua cauda pelo chão, abandonava à própria sorte seus filhotes. No entanto, além de não arrastar sua cauda para qualquer um ou por qualquer coisa, os dinossauros deviam ser sim pais amáveis que cuidavam de sua prole (http://www.scientificamerican.com/article.cfm?id=new-tyrannosaur-discoveries). Finalmente, os restos destes dinossauros agora podem descansar mais felizes!



sábado, 18 de setembro de 2010

Uma idêia a ser aplicada

^^^^^^^^^^  ^^^^^^^^^^^^^^^  ^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^   ^^^^^^^^^^^
^^^^^^^^^^ ^^^^^^^^^^^^^^^^  ^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^   ^^^^^^^^^^

Hâ alguns anos, a ofegante camada do alôtropo do oxigênio - que nos faz uma sombra da radiação UV - sofria com o constante ataque dos famigerados clorofluorocarbonetos, os CFC´s, presentes em alguns aerossôis e equipamentos de refrigeração por compressão (geladeiras, freezer´s, dentre outros), que agiam como catalisadores no frâgil equilíbrio existente nas camadas mais externas da atmosfera.

Apôs a confirmação da drástica diminuição da capa protetora da Antârdida e dos îndices alarmante de exposição ao qual estâvamos submetidos ao sair em um dia ensolarado, cientistas de vârios paîses levaram aos seus lîderes a proposta do Protocolo de Montreal (http://www.protocolodemontreal.org.br/005/00502001.asp?ttCD_CHAVE=17525) que levou à substituição destes CFC´s por gases menos nocivos. Desde a diminuição da utilização destes gases halogenados atê hoje, a camada de ozônio se mantêm estável.

O interessante ê destacar outros dois assuntos ligados à proteção que temos da radiação nociva do sol. O primeiro ê que muito se fala do ozônio como um grave poluente!! Seria este o mesmo ozônio da camada, quilômetros acima de nossas cabeças? NÂO! Estamos todos os dias, principalmente os moradores de grandes centros urbanos, expostos a uma elevada parcela desta substância tôxica que é produzida pela decomposição de combustíveis automotivos que não são totalmente consumidos pela combustão dos motores. Logo, ê comum estarmos em meio a tanto gâs.

Outra coisa é que muitos confundem a emissão de gases estufa como responsáveis pelo Buraco do nosso guarda-chuvas extratosférico. Acontece que assim como o gás carbônico ou aos demais gases estufa (metano e óxido nitroso) estão associados apenas a absorção de parte da radiação infravermelha que a Terra estaria descartando para o espaço.

A boa idêia é que poderíamos colocar em prática, com mais vigor, leis que foram aplicadas em um protocolo mundial como o de Montreal. O Protocolo de Kyoto já existe, só falta quem o cumpra.

Torço para que todo este ozÔnio perdido por aî, ache seu lugar no céu!

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

Peixes anestesiados

A evolução de cavernas e a evolução de espécies nestas cavidades são destaque deste post

No primeiro caso é interessante destacar que nem toda caverna é exclusivamente ampliada pela ação de águas de chuva que, ácidas, corroem o calcário, abrindo os grandes vãos subterrâneos. Algumas cavernas podem conter minerais de enxofre que levam à formação de ácidos ainda mais corrosivos que o ácido carbônico das chuvas. Um destes ácidos implicado na formação de cavernas (principalmente em algumas províncias mexicanas) é o ácido sulfúrico - H2SO4-, produto da máxima oxidação do enxofre mineral. Além dele o ácido mais reduzido e mais fraco ácido sulfídrico - H2S que deixam a água dor rios interiores às grutas com um pH baixíssimo o que já restringiria a existência de vida nestes ambientes.

Nestas cuevas se desenvolve uma fauna abundante de seres troglóbios como alguns peixes. Mais bacana ainda foi mostrado por uma revista (Biology Letters) americana que mostrou que hábitos dos locais, o povo Zoque, que há milênios fazem um ritual no interior das cavernas dissolvendo em seu interior extratos de plantas com poderes medicinais.

em rituais que datam de séculos, o povo Zoque emerge extratos de plantas anestésicas na água ácida das grutas

Acontece que estas plantas têm um grande poder anestésico que derrubam até mesmo seres vivos maiores. Isso pode ter favorecido a evolução de espécies de peixes adaptados ao interior das grutas uma vez que um teste realizado com estes peixes mostraram que eles apresentam uma maior resistência ao poder dar plantas. Um bom exemplo de "seleção artifical" que hora ou outra nós humanos promovemos com nossas atividades. Um resumo deste trabalho pode ser visto no site da revista New Scientist no link a seguir (http://www.newscientist.com/article/dn19447-religious-rite-gives-evolution-a-helping-hand.html) ou no resumo da publicação (http://rsbl.royalsocietypublishing.org/content/early/2010/09/06/rsbl.2010.0663.abstract?sid=b63578e0-d0b4-4fdb-b45a-b033c8aedd0f). 
os  Poecilia mexicana nadandotranquilamente, em águas extremamente ácidas em cavernas mexicanas