quarta-feira, 14 de julho de 2010

Segundo Curso de Introdução ao estudo de Cavernas - UNA

Mais uma vez em parceria com o Centro Universitário UNA, será realizado o curso de "Introdução ao estudo de cavernas - Espeleologia" no mês de Julho. A iniciativa é devido ao sucesso, não de público, mas, de crítica daqueles que cursaram a versão de Janeiro.

A estrutura do curso será a mesma, porém, os dias serão diferentes. Não vou falar muito mais sobre a estrutura do curso, que pode ser encontrado no site http://www.una.br/cursosdeextensao/cursos_curta_duracao_2010/intro_estudo_cavernas.html
quero sim é divulgar algumas fotos do primeiro curso que foi muito bacana.

Além das fotos que vão no primeiro post deste blog (veja abaixo), vão, a seguir, algumas outras que valem a pena se comentar:

Como eu disse, apesar de não ter sido sucesso de público (muitos dos inscritos acabaram por não ir) a primeira versão foi ótima graças a este grupo daí de cima, em uma fotografia no salão principal da Gruta dos Túneis. Faltou a Luana, responsável pela luz amarela lá do fundo. Esta caverna é um "laboratório" de prática de espeleologia pois oferece ao aluno de cursos de espeleologia todas as experiências possíveis de um ambiente cavernícola: dutos estreitos, largos, com escalada e obstáculos a serem transpostos, uma biologia exuberante que só não é completa pois tal gruta não é muito visitada por morcegos. Ela tem ainda diversos ambientes que vão de locais úmidos e escuros a abrigos claros e de ampla visão, que serviria como a habitação perfeita para um ermitão.


Esta é a boca principal por onde entramos e saímos. Apesar da proximidade com a gruta da Lapinha que recebe um grande público, não só esta gruta mas toda a área tem um rigoroso controle tanto por parte da prefeitura municipal de Lagoa Santa, quanto pelo IEF que é responsável pelo Parque do Sumidouro cuja área abrange o local de nossa visita.

Esta foto representa parte daquilo que tentamos defender ao ministrar cursos como este. Qualquer "amante do mundo subterrâneo" ou espeleólogo (como alguns podem nos taxar) que se preze não deve pensar em cavernas apenas como desafios aos seus limites, mas sim lutar para proteger naturais que vão bem além do patrimônio mineral das mesmas, até mesmo de detalhes que no nosso cotidiano corrido de metrópole deixa passar despercebido, como o da aranha acima. Minúscula (escala milimétrica), mas audaz o suficiente para predar mariposas, vezes maiores que ela, que visitam a caverna do Parque das Mangabeiras.



Um comentário:

Érika disse...

Oi Luciano, tudo bom?
Suas fotos estão ótimas ein? Parabéns pelo blog, sucesso aqui e longa vida!!
E pelo visto os cursos de introdução organizado por você devem ser bem legais. Bela iniciativa!
Bjs e Abços,
Érika Castro/ Guano Speleo.